void void
 Homepage
void
void
void
void
 

O GEOTA

Centro Ecológico Educativo do Paul Tornada

Comunicados

Grupos temáticos

Projectos

Associados

PROTOCOLOS

Histórico

Voluntariado
ipdj
   HomePage  Projectos TerraSeixe
Projecto TerraSeixe
Gestão Ambiental Partilhada no Sudoeste de Portugal

data
: 21-03-2017

 O Projeto TerraSeixe – Gestão Ambiental Partilhada no Sudoeste de Portugal nasceu de preocupações com o estado de conservação da biodiversidade na Bacia Hidrográfica da Ribeira de Seixe (BHRS). Como resultado destas preocupações, foi criada uma parceria entre ACÇÃO AMBIENTAL PARA O BARLAVENTO, representada por António Lambe, e o GEOTA – Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente.
 O projeto conta assim com a colaboração de 9 parceiros: Câmara Municipal de Monchique, Câmara Municipal de Aljezur, Junta de Freguesia de Odeceixe, Associação Vicentina, ICNF-DCN Algarve, APA-ARH Algarve e de três instituições académicas: A Universidade do Algarve – Centro de Estudos em Património, Paisagem e Construção; A Universidade de Évora - Polo de Évora do Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos (CIBIO); O Instituto de Ciências Sociais (ICS) - Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa - Grupo de Investigação Ambiente, Território e Sociedade.
Panorama1
 

Fig. 1

Fig1

Fig. 2 (Oliveira e Palma 2004)

Fig2

Em 2004 o projeto Cordão Verde no Sul de Portugal teve como objetivo definir os principais corredores ecológicos que permitissem assegurar a conectividade ecológica entre o litoral alentejano e o vale do rio Guadiana (Fig. 1) tendo, com base em 16 indicadores, identificado a Serra de Monchique e a BHRS como o principal hotspot do sul de Portugal para a conservação da biodiversidade (Fig. 2). A área geográfica do TerraSeixe corresponde à BHRS (limite a azul na Fig. 2) que, em termos administrativos, se encontra na confluência das NUT II Alentejo e Algarve, configurando-se a nível local por parte da área dos municípios de Odemira a norte (Alentejo), Aljezur a sudoeste e Monchique a sudeste (Algarve), numa área com 25 424 hectares.

 A combinação de características geográficas e orográficas criou condições para a existência de um refúgio microclimático onde subsistem algumas espécies testemunhas de uma paisagem, comum no final do período Terciário, mas hoje praticamente inexistente em Portugal continental. Uma das espécies representativas destas paisagens é o Quercus canariensis (Carvalho de Monchique). Esta espécie, em conjunto com outra flora e fauna endémica da região, confere um valor inestimável às florestas autóctones desta bacia; valores, aliás, formalmente reconhecidos pela integração de

QuercusCanarensis

Quercus  canariensis

grande parte deste território na Rede Natura 2000, Important Bird Area (IBA) e na Rede Nacional de Áreas Protegidas, que no seu total correspondem a 90% da BHRS.

O projeto desenvolve-se como projeto piloto de caráter transdisciplinar na área da conservação da biodiversidade, uso do solo e das alterações climáticas. Em particular, com a proteção e conservação de espécies de distribuição restrita, como sejam as espécies endémicas e com a necessidade de planificar e ordenar um território com vista a torná-lo mais resiliente face às alterações climáticas, que já se fazem sentir ou que se prevejam e em relação às quais o Sul de Portugal é particularmente vulnerável.
panorama3
As alterações climáticas e, as transformações do uso do solo consubstanciam ameaça à biodiversidade com implicações na perda de serviços dos ecossistemas com valor social e ambiental significativos. As estratégias de conservação da biodiversidade e planeamento regional raramente consideram fatores de ameaça dinâmicos, como os que resultam da interação entre mudanças climáticas e mudanças de uso de solo.
Os objetivos gerais do projeto TerraSeixe são: (i) definição e implementação de boas práticas de gestão que assegurem a conservação da biodiversidade e o restauro dos ecossistemas num contexto de alterações globais emergentes; (ii) criar um refúgio climático que se constitua como uma área experimental e demonstrativa de medidas de adaptação e mitigação dos efeitos das alterações climáticas; (iii) criar um centro de apoio à educação ambiental, ao ecoturismo, à investigação e ao turismo científico, a nível internacional, na perspetiva do desenvolvimento rural e local.
Rhododendron
Rhododendron ponticum subsp. Baeticum (adelfeira)
 
CONTATOS:  
Gestor de Projecto: justinr-s@terraseixe.org
Gestor Operacional: miguelj@terraseixe.org
logos
 
     
desenvolvido com
Senso Comum lda
O GEOTA é uma associação de defesa do ambiente, de âmbito nacional e sem fins lucrativos, em actividade desde 1981