void void
 Homepage
void
void
void
void
 

O GEOTA

Centro Ecológico Educativo do Paul Tornada

Comunicados

Grupos temáticos

Projectos

Associados

PROTOCOLOS

Histórico

Voluntariado
ipdj
   HomePage  Comunicados
Plataforma Salvar o Tua contesta criação do Parque Natural Regional do Vale do Tua
Plataforma Salvar o Tua – Associação de Defesa do Ambiente contesta criação do Parque Natural Regional do Vale do Tua porque considera servir apenas para operacionalizar a gestão de contributos financeiros consignados na Declaração de Impacte Ambiental do Aproveitamento Hidroeléctrico de Foz-Tua, promovido pela EDP.

data
: 19-09-2013

COMUNICADO DE IMPRENSA
19 de Setembro de 2013


--------------------------------------------------------------------------------

Plataforma Salvar o Tua contesta criação do Parque Natural Regional do Vale do Tua


--------------------------------------------------------------------------------




Plataforma Salvar o Tua – Associação de Defesa do Ambiente contesta criação do Parque Natural Regional do Vale do Tua porque considera servir apenas para operacionalizar a gestão de contributos financeiros consignados na Declaração de Impacte Ambiental do Aproveitamento Hidroeléctrico de Foz-Tua, promovido pela EDP.

No âmbito da discussão pública para a criação do Parque Natural Regional do Vale do Tua, que esteve aberta até ao início desta semana, a Plataforma Salvar o Tua – Associação de Defesa do Ambiente elaborou um parecer crítico, dado que considera que a criação do Parque Natural Regional do Vale do Tua pretende apenas compensar impactes da construção da barragem de Foz-Tua.

A Plataforma Salvar o Tua entende que a Agência de Desenvolvimento Regional do Vale do Tua – ADRVT apresentou uma proposta de criação do Parque Natural Regional ao Director do Fundo de Conservação da Natureza e Biodiversidade (Instituto de Conservação da Natureza e Florestas), apenas para tentar operacionalizar a gestão de contributos financeiros consignados na Declaração de Impacte Ambiental do Aproveitamento Hidroeléctrico de Foz-Tua, promovida pela EDP.

A criação de um Parque Natural Regional, segundo a Plataforma, não resolverá qualquer problema, pois grande parte das plantas endémicas no leito do Vale do Tua será literalmente dizimado, sendo que as que venham a ser resgatadas passarão a formar parte do grupo das “curiosidades de circo” que, infelizmente, haverão de desaparecer devido à irresponsabilidade dos governantes.

A Plataforma Salvar o Tua considera que só faz sentido a criação de um Parque Natural Regional no Vale do Tua se as áreas mais importantes do Vale do Tua não forem destruídas pela construção e enchimento da albufeira da barragem de Foz-Tua e lamenta que se pretenda assumir como medida de compensação a criação de um parque natural, nas encostas envolventes ao Vale do Tua, para justificar os elevados impactes da construção da barragem em Foz-Tua, facto que não dignifica os seus promotores.

Um Parque Natural Regional no Vale do Tua, sem regulamentação específica para conservação dos habitats existentes, serve apenas para manutenção de interesses dos municípios da Agência de Desenvolvimento Regional do Vale do Tua e da EDP.

Segue em anexo o parecer apresentado pela Plataforma Salvar o TUA.


A Plataforma Salvar o Tua é uma associação de defesa do ambiente constituída na sua fundação por nove associações ambientais e por uma quinta de produção vinícola da região. As associações participantes são:


GEOTA – GRUPO DE ESTUDOS DE ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E AMBIENTE
LPN – LIGA PARA A PROTEÇÃO DA NATUREZA
SPEA – SOCIEDADE PORTUGUESA PARA O ESTUDO DAS AVES
QUERCUS – ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE CONSERVAÇÃO DA NATUREZA
COAGRET – COORDENADORA DE AFECTADOS PELAS GRANDES BARRAGENS E TRANSVAZES
AAVT – ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DO VALE DO TUA
ALDEIA – ACÇÃO, LIBERDADE, DESENVOLVIMENTO, EDUCAÇÃO, INVESTIGAÇÃO, AMBIENTE
FAPAS – FUNDO PARA A PROTEÇÃO DOS ANIMAIS SELVAGENS
GAIA – GRUPO DE ACÇÃO E INTERVENÇÃO AMBIENTAL
QUINTA DAS MURÇAS

 
     
desenvolvido com
Senso Comum lda
O GEOTA é uma associação de defesa do ambiente, de âmbito nacional e sem fins lucrativos, em actividade desde 1981