void void
 Homepage
void
void
void
void
 

O GEOTA

Centro Ecológico Educativo do Paul Tornada

Comunicados

Grupos temáticos

Projectos

Associados

PROTOCOLOS

Histórico

Voluntariado
ipdj
   HomePage  Comunicados
Barragens: é mentira!
Verdade ou mentira?

data
: 31-01-2011

Barragens: é mentira!
Dia das Mentiras: 1 Abril 2011
 
Que dizem o Governo e as grandes eléctricas?
Verdade ou mentira?
Porquê?
As grandes barragens fornecem energia sustentável e renovável
MENTIRA
As albufeiras criadas pelas barragens destroem de forma irreversível os solos, os corredores ecológicos e os valiosos e raros ecossistemas ribeirinhos. A água é renovável (enquanto chover), mas nas novas grandes barragens a destruição do território é, de longe, excessiva face aos pequenos benefícios, pelo que são totalmente insustentáveis. A expressão “renovável” é antiquada e encobre custos e impactes muito graves, pelo que nunca deve ser usada como sinónimo de ambientalmente ou economicamente positivo.
As novas barragens são importantes para reduzir a emissão dos gases de efeito de estufa
MENTIRA
As centrais hidroeléctricas implicam menores emissões de CO2 do que centrais a carvão ou gás natural. No entanto, as novas grandes barragens representam apenas 1% do consumo de energia de Portugal (4% da electricidade), e têm um custo 10 (dez) vezes superior por kWh aos investimentos em uso eficiente da energia. Ora, investimentos em eficiência e em nova produção são mutuamente dissuasores, não há dinheiro para tudo!
A grandes barragens criam emprego e desenvolvimento local
MENTIRA
O emprego envolvido nas grandes barragens e outras obras públicas é temporário, e exercido maioritariamente por trabalhadores deslocados. O emprego permanente e/ou gerado localmente é mínimo. Por milhão de euros aplicado, investimentos no turismo rural criam cerca de 10 (dez) vezes mais emprego que as grandes obras. Além disso, as grandes barragens destroem irreversivelmente paisagens fantásticas, rios selvagens e património construído (caso da Linha do Tua), que são dos melhores activos para um turismo diferenciado e de qualidade.
As barragens diminuem a dependência do petróleo
MENTIRA
Em Portugal os derivados do petróleo são usados esencialmente nos transportes e na indústria: quase nada na produção de electricidade.
As novas barragens são importantes para a bombagem hidroeléctrica
MENTIRA
A bombagem hidroeléctrica é útil para aproveitar energia produzida à noite, por exemplo pelas centrais eólicas. Mas apenas precisamos de 2000 MW, e nas barragens existentes já temos instalados ou em instalação 2507 MW.
A eficiência energética é a vertente mais importante da política energética
VERDADE
O potencial de poupança teórico atinge 50% dos consumos actuais, o economicamente interessante 25-30, e o de alta rentabilidade 10%. O problema é que as políticas em vigor são muito insuficientes para promover a concretização desse potencial. Em 2010, apesar da recessão, o consumo de electricidade nacional subiu 4,7%. Ao contrário da Europa, em Portugal a intensidade energética do PIB continua a piorar — um trágico indicador da ineficiência da nossa economia e da nossa pseudo-política energética.
 
 
     
desenvolvido com
Senso Comum lda
O GEOTA é uma associação de defesa do ambiente, de âmbito nacional e sem fins lucrativos, em actividade desde 1981