void void
 Homepage
void
void
void
void
 

O GEOTA

Centro Ecológico Educativo do Paul Tornada

Comunicados

Grupos temáticos

Projectos

Associados

PROTOCOLOS

Histórico

Voluntariado
ipdj
   HomePage  Comunicados
Eleição dos Órgãos Sociais do GEOTA
biénio 2011 - 2012

data
: 38-03-2011

 
Candidatura à Mesa da Assembleia Geral para o biénio 2011-2012
 
 
Lista Candidata
 
 
 
Presidente: Maria da Conceição Martins
Vice-Presidente: João Carlos Caninas
Secretária: Filipa Ramalhete
Suplente: Nuno Melo


Candidatura à Comissão Executiva do GEOTA
para o biénio 2011-2012
Presidente: João Miguel Dias Joanaz de Melo
Tesoureira: Vera Marisa Policarpo Coelho
Vice-presidente: António Miguel Portugal Galvão
Vice-presidente: Isabel Vieira da Silva Palma
Vice-presidente: Pedro Filipe Emauz Madruga
Suplente: Carlos Miguel Murta do Sacramento
Suplente: Ana Rita de Sousa Alvarez Margarido
Suplente: Pedro Campos Rodrigues da Costa
Perfilhamos o paradigma do desenvolvimento sustentável. A definição oficial é bem conhecida mas genérica, pelo que propomos uma fórmula mais operativa e interpelante: vamos fazer com que os nossos netos se orgulhem de nós.
Defendemos um conceito de Ambiente englobando não só a natureza mas também a paisagem humanizada, os valores culturais, a qualidade de vida das pessoas e a gestão dos recursos naturais.
Devemos lutar pelos nossos ideais, mas temos igualmente que compreender os outros e saber trabalhar cooperativamente. Em matéria de ambiente e desenvolvimento, somos todos parte do problema e da solução.
O GEOTA deve distinguir-se tanto pela competência e coerência das nossas posições como pela paixão com que somos capazes de as defender.
Pretendemos ser a ONGA nacional de referência em matéria de doutrina de ambiente e desenvolvimento.
Queremos promover uma sociedade plural, informada, com comportamento cívico e participativo.
Devemos ser proactivos e procurar soluções inovadoras para problemas reconhecidamente complexos. Mas seremos reactivos quando necessário: o Ambiente que idealizamos ganha-se (ou não) na realidade do dia-a-dia.
§ Sustentabilidade
§ Competência
§ Independência
§ Voluntariado
§ Irreverência
§ Associativismo
§ Serviço de interesse público
Factores Internos
Forças
Fraquezas
§ Solidez de princípios e posições: reconhecimento e credibilidade do GEOTA
§ Gente com paixão e com ideias: capacidade para inventar novas abordagens e pô-las em prática
§ O GEOTA está numa situação difícil
▫ Falta de quadros
▫ Falta de participação
▫ Desproporção entre solicitações e meios
Factores Externos
Oportunidades
Ameaças
§ Vontade de participação na sociedade: potencial de voluntariado
§ Ambiente é um imperativo reconhecido, já ganhámos a sensibilização: agora falta a acção
§ Informação ilimitada: Internet, redes de conhecimento
§ O Mundo está numa situação difícil
▫ Sociedade de consumo, perda de valores
▫ Decaimento da actividade associativa
▫ Ambiente perdeu iniciativa
5.   Intervenção externa: principais temas a acompanhar
§ Ordenamento do território
§ Energia
§ Mobilidade
§ Oceanos e litoral
§ Alterações climáticas
§ Património natural e cultural
§ Caça ao elefante branco: barragens, TTT, auto-estradas, aeroporto
6.   Intervenção externa: acções prioritários
§ Reforma fiscal ambiental: repensar e relançar a campanha
§ Questionar a sociedade do desperdício: campanhas para um consumo mais sustentável
§ Campanha inter-associativa “rios e barragens”
§ Alianças com parceiros sociais: sectores da qualificação urbana, transportes públicos, eficiência energética, novas energias, turismo de natureza, autarquias do interior, associações de estudantes
7.   Cidadania, associados e formação de quadros
§ Desenvolver estratégias para a captação de associados junto de diferentes públicos (prioridade aos jovens mas não só)
§ Promover o debate público sobre o desenvolvimento sustentável, especialmente em parceria com as universidades
§ Procurar e formar quadros para o GEOTA: “pesca à linha”
§ Campanhas (RFA, barragens, consumo): envolver muitos associados em tarefas de baixo esforço e exigência técnica — reacção em cadeia
§ Meta-projectos: criar materiais e apoio pontual para multiplicar a capacidade de intervenção, nossa e de terceiros (PDM)
§ Direcção mais eficaz e flexível
o   CE: melhor coordenação, menos “tapa-buracos”
o   Pelouros temáticos, melhor delegação de competências
o   Reuniões mensais de Direcção: optimizar coordenação/esforço
o   Reuniões temáticas regulares com cada grupo de trabalho
§ Melhor gestão financeira
o   Planos de curto e médio prazo: SE com acompanhamento da CE
o   Estratégia de médio e longo prazo para eliminar o passivo e criar uma reserva financeira estratégica
o   Rentabilizar o Paúl de Tornada
§ Reflexão política periódica — essencial para objectivos a longo prazo
§ Ampliar tertúlia interna e “edutainment”: jantares, ecotours…
§ Assessoria de comunicação: promover a marca GEOTA
§ Relançar o boletim informativo, versões electrónica e papel


 
 
 
Candidatura ao Conselho Fiscal do GEOTA para o biénio 2011-2010
 
 
 
Lista candidata
 
 
 
 
 
Presidente – Marlene Isabel Figueiredo Alves Pereira Marques
Vogal – Joaquim Rocha Afonso
Vogal – Maria da Graça da Silva Mourão Serra

 
Instruções para o voto por correspondência
 
Regulamento da Assembleia Geral, ARTIGO 6º (direito a voto e representação):
1 - Nas Assembleias Gerais têm direito a voto todos os associados aderentes, efectivos e honorários em pleno uso dos seus direitos.
2 - Em Assembleia Geral, o peso do voto dos associados efectivos e honorários é três vezes o peso do voto dos associados aderentes.
3. Entende-se que estão no pleno uso dos seus direitos, os associados que tenham as suas quotas em dia.
4. Apenas é permitido o voto por representação, fora dos actos eleitorais, nos seguintes casos:
a) para associados que sejam pessoas colectivas, devendo, nesse caso, a representação ser feita por um representante devida e explicitamente credenciado para o efeito pelo órgão competente da entidade representada;
b) para associados com direito de voto, portadores de procuração notarial indicativa dos limites do poder de representação em nome do associado singular que representam; nesse caso, cada associado só pode representar, no máximo, um outro associado com direito de voto.
5. Nos casos em que as votações a efectuar estejam devidamente expressas na ordem de trabalhos devem ser facultadas aos associados as informações necessárias sobre as várias propostas, por forma a permitir o voto por correspondência.
6. O voto por correspondência referido no ponto anterior será efectuado por carta, devidamente identificada e remetida à Mesa da Assembleia Geral até meio hora antes do início da Assembleia Geral respectiva, à primeira convocatória.
 
Os associados no pleno uso dos seus direitos que não puderem estar presentes à reunião da Assembleia Geral poderão enviar os seus boletins de voto (um por cada órgão social) em envelope fechado sem qualquer identificação dentro do envelope endereçado ao GEOTA que será entregue ao Presidente da Mesa da Assembleia Geral até meia hora antes do início da reunião (Remessa Livre - não precisa de selo).
Mais informação na página do GEOTA (www.geota.pt) ou junto dos nossos serviços.
 
     
desenvolvido com
Senso Comum lda
O GEOTA é uma associação de defesa do ambiente, de âmbito nacional e sem fins lucrativos, em actividade desde 1981